sexta-feira, setembro 08, 2006

REVOLUÇÃO POÉTICA

UM DIA IRÃO MARCHAR OS POETAS
Fotografia de Roberto Castro


Revolução

Que a poesia seja revolução
revolução de palavras

palavras, PALAVRAS
ditas
escritas
cantadas
sussuradas
gritadas

choradas

berradas

uivadas

em desatino, desatinadas

revolução, REVOLUÇÃO ,
das
palavras
dos
descontentes

querentes

descrentes

sem tempo

o tempo, O TEMPO
não espera
é agora

é hora
já!


Isabel ( em estado de revolta interior...)



Poesia

é preciso que a Poesia
não seja apenas verso rima estrofe canto
palavras equilibradas com medida
combinação rítmica ludismo sonoro
tijolo por tijolo desenho lógico
peça de harmonias com refrão para coro.
e sim, que a Poesia
em cada palavra altere a própria escrita
esculhambe as páginas com ruídos gritos e desordens
não saia nunca do chão. Solar e lunática
a qualquer hora desafinando na orquestra dos contentes.
é preciso que a Poesia
não seja apenas canção objeto fonomecânico discolaser videoclipe
página microsoftisada de corações e mentes virtuais
via net internavegando a solidão cósmica de cada um
musicada com aparato e tecnologia refinada
compondo repertórios de chavões & bises comerciais
vendida com princesas emoções estragadas protestos de mentira
labores motores reatores
colares colores dores dolores e dólares de amores
amparo muro de arrimo régua compasso
de boleros leros tangos merengues sambas rocks baiões
xotes soul reggae baladas
românticas charadas decifráveis chorosas e melosas
e sebosas alvirrubras rosas
industrializadas freneticamente por multinacionais
da música made in Brazil
made in United States of América
invadindo e dominando lares pelas tentaculares globos Records
manchetes ABCs NBCXs USAtoday
se sim, que a Poesia
crie a luz dos teus olhos
sequestre a tua audição com a música singular
detone o teu cérebro com megatons invisívei
se não deixe mais o teu coração apenas vivo
- integrada para sempre ao teu sangue
Como a tua raça o teu sexo e o teu nome.

É PRECISO QUE A POESIA SEJA SÓ
A PALAVRA MAIS HUMANA DA EXISTÊNCIA


Juareiz Correya

11 Comments:

Blogger DE PROPOSITO said...

Ser poeta é viver num mundo que não é nosso, é passar entre as pessoas sem ver e sem ser visto. A poesia é uma arte, por isso sai fora de tudo o que é comum.
Fica bem.
Manuel

sexta-feira, setembro 08, 2006  
Anonymous miguel said...

bonito. mas não te sabia nessa revolta interior? beijos.

sexta-feira, setembro 08, 2006  
Blogger alice said...

um post onde as palavras são as únicas armas!

mais uma vez, isabel, foi deveras importante tê-la encontrado

um grande beijinho para si,

bom fds ;)

alice

sábado, setembro 09, 2006  
Blogger Menina_marota said...

Adorei!
A Poesia... é um estado de alma, onde cabe tudo: o amor, a paixão, o desânimo, a revolta, o sentir de uma Vida...
Parabéns. Gostei muito.

Um abraço e bom fim de semana ;)

sábado, setembro 09, 2006  
Blogger Poesia Portuguesa said...

Tenho mais uma "casa" para visitar.
Gostei de te ler.
Um abraço ;)

sábado, setembro 09, 2006  
Blogger AS said...

Acorda Poeta! Grita!...
Vive o teu sonho e acredita
Que só a força do sonho te levanta
Só o poema te ressuscita
Não o deixes estrangulado na garganta!


Um beijo Isabel...

domingo, setembro 10, 2006  
Blogger reverse said...

Vim retribuir a tua visita e ler-te. Vou voltar.
Um beijo.

domingo, setembro 10, 2006  
Blogger A said...

Os poetas marcham e marcam todos os dias...

:)

A maior revolução opra-se assim (primeiro)

Gostei do teu blog. Prometo voltar

:) Beijinhos (também sou Isabel)

segunda-feira, setembro 11, 2006  
Blogger A said...

"opera-se"

Sorry!!

Beijos

segunda-feira, setembro 11, 2006  
Blogger A said...

"opera-se"

Sorry!!

Beijos

segunda-feira, setembro 11, 2006  
Blogger Paulo Filipe said...

Entrei no teu BLOG, e adorei ler teus poemas. Tens uma arte que fala do coração. Certamente irei voltar. Tens um talento enorme!

terça-feira, setembro 12, 2006  

Enviar um comentário

<< Home