sexta-feira, setembro 29, 2006

Histórias de aprender e encantar

Para a minha amiga Carolina com amor:
A Carolina encontra a Princesa Lia


Era uma vez, há muito, muito pouco tempo, num país por vezes encantado e desencantado outras, uma linda menina chamada Carolina. A Carolina era uma menina com muita, muita sorte.
Imaginem só que tinha um pai e uma mãe que a adoravam, e ainda tinha uma madrasta boa e um padrasto bom que também a adoravam.
Dizia muitas vezes:
Tenho tanta sorte, tenho dois pais e duas mães.
Como todas as crianças tinha um mundo só seu, onde habitavam todos os seres e todas as personagens que a sua imaginação alcançava. Um mundo belo e colorido cheio de lindas paisagens, pássaros esvoaçando livremente no céu azul, peixes de todas as cores serpenteando pelos muitos lagos, mares e riachos que aqui e ali azulavam o verde dos extensos campos salpicados de todas flores e arvores carregadas de todos os frutos.
Haviam lindos castelos, príncipes e princesas, festas alegres e divertidas, havia música por todos os lados e tanta era a música que a natureza e as pessoas todos pareciam dançar.
Haviam vestidos cheios de laços e rendas, e cabelos longos e sedosos ornamentados de flores e os belos cabelos e as saias dos vestidos rodopiavam pelos salões de baile onde os príncipes e princesas se viam, e ao primeiro olhar, se começavam a amar.
A Carolina gostava muito histórias de príncipes e princesas:

Deitada na sua cama que era um mundo
fez do tecto um céu profundo
salpicou-o de brilhantes estrelas
ali sonhando as histórias mais belas
imaginando tanto que a imaginar pintava telas

Via longínquos reinos encantados
por lindas e floridas paisagens rodeados
via princesas com longos vestidos de cetim
lindas flores, lindas salas, lindos vestidos
via um mundo de beleza sem fim

Por vezes um mostro ou uma bruxa malvada
seus sonhos vinham perturbar
nada que a bondade de uma linda fada
não fizesse de novo o reino encantar

Nos seus sonhos de menina linda
o amor é sempre o vencedor
É sempre em beleza que a história finda
com príncipe e princesa perdidos de amor.

E foram felizes para a eternidade
assim deve a história terminar
assim deve ser a felicidade
dois seres que vivem para amar.

Num lindo dia de sol a Carolina passeava pelo jardim perto de uma das suas duas casas, e encontrou sentada junto de um pequeno lago artificial uma linda princesa, olhando os peixes que eram enormes e muito coloridos.
Abrandou o passo cheia de curiosidade ,andava e disfarçando ia olhando a bela princesa.
Estava tão concentrada observando que se assustou quando de repente a princesa a chamou.
- Olha, miúda!
- Oh miúda!
- Sim tu, estou-te a chamar.
- Vem aqui por favor.
A menina nem pensou duas vezes.
Uau! Era um sonho a tornar-se realidade!
Demais!
Altamente!
Espectácular!
A princesa está a chamar por mim.
Ai, quando eu contar isto às minhas amigas, vão-se passar!
- Olá. Disse a princesa.
- Explica-me uma coisa miúda, porque é que estes peixes são tão grandes?
- Lá de onde eu venho os peixes deste género vivem nos lagos e nos riachos e são muito mais pequeninos.
-Pois respondeu a Carolina, mas aqui nas cidades não há lagos naturais, percebes?
E então para ficar mais bonito constroem estes para nós os meninos podermos ver os peixes.
- Ah, já percebi para vocês verem de forma artificial como é a beleza natural, certo?
- Pois. Pois é isso, mais ou menos! Disse a Carolina um pouco desiludida.
-E então porque é que os peixes são muito maiores do que lá no meu reino?
-Bom, é que estes comem muito desta comida às bolinhas que vendem ali, estás a ver?
Acho que os senhores aqui do jardim, para arranjarem dinheiro tem de vender estas coisas e como os meninos gostam de ficar muito tempo com os peixes acabam também por lhes dar muita comida, dão muita o dia todo, percebes?
Por isso é que eles estão assim tão grandes e gordos. Explicou com muito jeito a menina Carolina
- Sabes, acho as coisas aqui muito estranhas. Disse a princesa com alguma tristeza.
Quando vim para aqui vi muitos pobres com fome.
Vi tantos cães e gatos que pareciam abandonados e esfomeados.
E mesmo aqui no jardim, vejo velhinhos sentados sozinhos, e talvez também tenham fome.
Os peixes assim coloridos lá no meu reino são só para admirar. Como vivem em lagos naturais comem o que a natureza lhes dá e a natureza quando está bem, quando não está doente dá na medida certa sabias?
Porque é que aqui não ensinam os meninos a admirarem os peixes. A fazer companhia a estes velhinhos sozinhos e com tantas histórias para contar.
E a dar comida aos pobres.
A cuidar dos animais abandonados.
Em vez disso constroem estes lagos pequeninos e deixam as crianças estar horas a dar demasiada comida a peixes que já estão tão gordos que mal conseguem nadar neste lago tão pequeno.
Parece que aqui, onde tu vives, está tudo ao contrário!
Sabes miúda, isto aqui até não é feio mas esta tudo de pernas para o ar.
Se eu pudesse dar um nome a este reino chamava-lhe “Reino de pernas para o ar”.
A princesa riu-se mas o seu riso era meio trocista meio triste.
A menina Carolina riu também.
- Estamos a rir mas isto não tem muita graça pois não? Perguntou meio sem jeito, a Carolina.
-Não, não tem.
Há tantas coisas pequeninas, que até as crianças podiam fazer, se os adultos olhassem para o outro lado da vida e ensinassem as crianças a fazer o mesmo.
- Foi isso que vieste aqui fazer?
-Não vim ver como eram as coisas aqui…
-Vim brincar.
-Mas vi isto e não fui capaz.
-Por isso vocês, os meninos quando querem brincar vêm para o Reino de Encantar. Porque o vosso tem demasiadas coisas tristes erradas e feias.
Não é?
-Nunca tinha pensado nisso, mas acho que sim. Respondeu a menina.
-Sabes hoje aprendi uma coisa contigo, Princesa.
-A sério miúda?
-Diz lá?
-Aprendi que o mais fixe nos contos de encantar não são os vestidos, nem os príncipes, nem as princesas, nem os salões muito ricos.
O mais fixe, o mais bonito é que as coisas estão certas. A natureza está feliz, porque o homem não estraga o que é natural. Os velhos não estão sozinhos porque as crianças e os adultos curtem ouvir as suas histórias e dão bué valor às coisas que eles sabem da vida. Não há pobres nem gente sem casa e sem nada porque todos são bondosos e se ajudam. Os animais ou estão livres ou estão com os seus donos pois ninguem lhes faz mal nem os abandona, não é?
-É ! É ! Disse a princesa sem palavras de espanto.
E quando aparece alguém maldoso lá no meu reino, damos logo caibo dele!
Como não gostamos muito de fazer mal a ninguém, normalmente ensinamo-lo a ficar bom.
Acabou por dizer a princesa em tom de brincadeira.
A Carolina riu às gargalhadas.
-Pois é, devia ser assim também aqui. Disse inconformada.
-Afinal como se chama o teu reino perguntou a princesa?
-Aqui chamamos-lhe país. Este é Portugal. E eu sou a Carolina
-E o teu? Quis saber a menina.
-O meu chamasse Naturalia. Disse a princesa com orgulho. e eu sou a Lia.
-Muito bonito!
-Olha vou-me embora, vou falar um bocadinho com aquela velhinha que ali está sozinha.
-Foi muito louco conhecer-te princesa!
Um dia vou lá à Naturalia ter contigo.
-Esta bem, fico à espera! Gritou a princesa, acenando para a menina que se afastava correndo para junto da velhinha.
Passas lá tanto tempo, estou farta de te ver por lá. Pensou a princesa Lia.
Quando no teu quarto olhando o tecto inventas histórias de encantar, tantas vezes é Naturalia que estas a inventar.
A Carolina ficou sentada conversando com a velhinha e adorou as histórias que ela lhe contou.
No caminho para casa, sentiu dentro do peito uma alegria especial que ainda não conhecia, pensou que devia ser a alegria de dar alegria a alguém.
Caminhava sorrindo e saltitando. Antes de subir as escadas do prédio a correr gritando pelo pai e por mim, ainda desejou ir depressa a Naturalia contar à princesa Lia as histórias que a velhinha lhe contara.
Pai!
Isabel!
Conheci uma princesa, chamada Lia.
Super fixe!
Vocês nem imaginam... principiou contando ofegante e contente...
Isabel


"Peixes Coloridos"
Alfred Gockel

13 Comments:

Blogger inBluesY said...

até eu fico, como não deveria ficar a carolina.

:)

sábado, setembro 30, 2006  
Blogger Egrégora said...

demorei mas cheguei cá...

que as carolinas se multiplem, e o carinho por elas também!

**

sábado, setembro 30, 2006  
Anonymous carolina said...

obrigada por me teres escrito esta historia magnifica.Adorei
se quiseres escrever para á procima gostava muito.
beijos carolina...

sábado, setembro 30, 2006  
Blogger pensamentos_vagabundos said...

adorei mesmo muito:)adorei tanto que fiquei feliz como a menina carolina:)
beijo vagabundo

sábado, setembro 30, 2006  
Blogger o lápis said...

Só para te deixar um beijo :)

Segunda feira será tempo de leituras :))


Lia é nome de Fada? :)

´Transborda carinho!

sábado, setembro 30, 2006  
Blogger veritas said...

Olá Isabel!

A história da Carolina, vai sendo a de muitos outros meninos...dá-lhe força e amor...

Bjs.

domingo, outubro 01, 2006  
Blogger AS said...

Belissima história! Tens talento e criatividade Isabel!... Parabéns!


Um beijo...

domingo, outubro 01, 2006  
Blogger Teresa Durães said...

bela a história

e gosto muito de Alfred Gockel!

boa noite

domingo, outubro 01, 2006  
Anonymous Secreta said...

Que linda história :)
Deixo um beijito de boa semana.

segunda-feira, outubro 02, 2006  
Blogger Pierrot said...

Eu estou pasmo com a Carolina, com o texto e contigo.
Coisa bonita de se ler.
Parabéns e continua.
Bjos daqui
Eugénio

segunda-feira, outubro 02, 2006  
Blogger P. Guerreiro said...

E que falta nos faz conhecer esse refúgio infantil que desaprendemos com a idade...Para pôr tudo de pernas para o ar.

Decidi contar a história à minha Mariana...

Um abraço e boa semana!

segunda-feira, outubro 02, 2006  
Blogger sentidos said...

Vim agora, com mais tempo para ler o teu post e adorei. A vida, é bem mais simples e inocente, quando somos novinhos...por vezes, gostaria de olhar para a vida da mesma forma.
Um sopro sentido

segunda-feira, outubro 02, 2006  
Blogger Vanda Baltazar said...

Caiu-me tudo ao chão! :-D

Está linda, tem magia :) sentido da vida :) aborda a solidão dos velhinhos e um mundo às cambalhotas, que se leres o meu primeiro post, é a causa de tudo quanto escrevo :)

É uma historia feliz para uma miuda feliz! :)

uma princesa de amor :)


Como todas deveriam ser!


Abraço-te, dou-te os parabens e desejo muito, muito muito que a Carolina tenha sempre à sua volta, adultos felizes.

Só assim ela pode ser uma miuda feliz :))

Van

terça-feira, outubro 03, 2006  

Enviar um comentário

<< Home