quinta-feira, agosto 24, 2006

Marylin e Ruy Belo

Para mim ela sempre foi a mulher mais bela do mundo, nenhuma outra tem ou teve o que ela tinha, ninguem nunca soube rir com tanta tristeza, ninguem nunca tentou encontrar um ombro amigo com um bambolear de ancas ou procurou tão desesperadamente o amor verdadeiro exibindo a extensão de um decote como se lá se encontrasse a extenção da alma , ninguem tão bela tinha tanta falta de jeito, ninguem era tão espontaneamente ridicula nos gestos estudados, ninguem foi tão amada e sentiu tão só ... a mulher mais linda do mundo era tambem a mais triste ...
Eu sou só mais uma estranha que permaneçe encantada por ela ...
Elton John escreveu-lhe uma musica, não gosto particularmente dele... e a musica é no mínimo mediocre quando dedicada a alguem com tamanha beleza.
Hoje descobri que aquele que escreveu alguns dos mais belos poemas do mundo, o grande e belo tambem já morto, Ruy Belo, a achava a mulher mais bela do mundo.
E escreveu para ela, e chamou-lhe A Mulher
Que tremendo elogio vindo de Ruy Belo ... quem sabe estão agora os dois ela cabeça deitada no ombro dele sentindo-se finalmente protegida, ele inebriado pelo Chanel nº 5 , inspirado por tanta beleza sussurrando-lhe poemas ao ouvido os dois felizes rindo de nós pobres seres terrenos ...
Fica aqui o poema e a homenagem aos dois : Ruy Belo e Marylin Monroe
Nunca imaginei poder juntar estes dois nomes e que ficasse tão... certo
Não cesso de me espantar com a vida e o mundo!

A MULHER

Morreu a mais bela mulher do mundo

tão bela que não só era assim bela

como mais que chamar-lhe marilyn

devíamos mas era reservar apenas para ela

o seco sóbrio simples nome de mulher

em vez de marilyn dizer mulher

Não havia no fundo em todo o mundo outra mulher

mas ingeriu demasiados barbitúricos

uma noite ao deitar-se quando se sentiu sozinha

ou suspeitou que tinha errado a vida

ela de quem a vida a bem dizer não era digna

e que exibia vida mesmo quando a suprimia

Não havia no mundo uma mulher mais bela

mas essa mulher um dia dispôs do direito

ao uso e ao abuso de ser bela

e decidiu de vez não mais o ser

nem doravante ser sequer mulher

O último dos rostos que mostrou era um rosto de dor

um rosto sem regresso mais que rosto mar

e toda a confusão e convulsão que nele possa caber

e toda a violência e voz que num restrito rosto

possa o máximo mar intensamente condensar

Tomou todos os tubos que tinha e não tinha

e disse à governanta não me acorde amanhã

estou cansada e necessito de dormir

estou cansada e é preciso eu descansar

Nunca ninguém foi tão amado como ela

nunca ninguém se viu envolto em semelhante escuridão

Era mulher era a mulher mais bela

mas não há coisa alguma que fazer se certo dia

a mão da solidão é pedra em nosso peito

Perto de marilyn havia aqueles comprimidos

seriam solução

sentiu na mão a mãe

estava tão sozinha que pensou que a não amavam

que todos afinal a utilizavam

que viam por trás dela a mais comum imagem dela

a cara o corpo de mulher que urge adjectivar

mesmo que seja bela o adjectivo a empregar

que em vez de ver um todo se decida dissecar

analisar partir multiplicar em partes

Toda a mulher que era se sentiu toda sozinha

julgou que a não amavam todo o tempo como que parou

quis ser até ao fim coisa que mexe coisa viva

um segundo bastou foi só estender a mão

e então o tempo sim foi coisa que passou.

Ruy Belo

1 Comments:

Anonymous miguel said...

tu que tb és uma mulher bela...
vais -te revelando tb uma bela mulher, com alguem que te ama. muito

quinta-feira, agosto 24, 2006  

Enviar um comentário

<< Home